sábado, 5 de dezembro de 2009

Clips

Saiu cedo. Tinha entrevista de emprego. Vestiu o melhor terno. Aquele de listra de giz. E os sonhos escritos com caneta esferográfica para não se apagarem com algum balde de água fria. A psicóloga vai perguntar a mesma coisa, ele sabe. Portanto, as respostas serão as mesmas: cachorro, A arte da Guerra e perfeccionista. E depois, claro, a dinâmica de grupo: 'Quem você levaria para um subterrâneo?' Ele tem vontade de gritar: Ninguém! Quem moraria na terra? Na escuridão? Mas, ele vai lá e lista: O Padre, a Criança e o Violinista. E não perguntem o porquê. E segura a sua vontade de rir. Olha para a psicóloga que finge ser séria com aqueles óculos azuis. Quem pode ser séria com uns óculos daqueles, ele pensa. E sorri. Tira a gravata. Fala bobeira. É ele. É espontâneo. Sabe que o emprego já era. E não tem importância nenhuma. Está feliz por alguma razão...

...Talvez por não precisar entender que a vaga sempre é de quem escolhe o clips!


(E ele levou cinco no bolso)

17 comentários:

Glauco Guimarães disse...

Dá sorte levar clips no bolso numa entrevista de emprego?

Luna Cortez disse...

gostei dele, rs.

eu sou ele, num corpo de mulher.

(:

Fernanda disse...

mesmo sem emprego naquela sala acho que ele era o unico feliz.

Heloísa Vilela disse...

gostei dele também,

de qualquer forma, ele estava feliz...

;)

Glauco Guimarães disse...

Ta la a parte dois!

Mikaele Tavares disse...

E ele estava feliz..

Mariana Andrade. disse...

acho que o barulho dos clips balançando acalmou.
trouxe sorrisos.

Felicidade Clandestina. disse...

Nossa adorei :D
magnífico

Sorrisos mil com essa o/

Beijos flor :*

Natália Corrêa disse...

ah, eu sempre escolho os clips errado!

Erica Ferro disse...

E eu vejo além. Desempregado, mas feliz e quem sabe apaixonado? Um romance com a psicóloga, algo assim?
Okay, vi demais, haha.

Adorei te ler.
Gostosas demais tuas letras.

Um beijo.

Crispi. disse...

Essa dinâmica do subterraneo é pra acabar :)
Adorei o conto!
Beijos!

Solange Maia disse...

e tudo se repete...
e tudo podia ser um tanto diferente...

e foi.
ele mudou o previsível final da história.

gostei.

irreverente. feliz.

beijos no seu coração especial....

marinaCavalcante disse...

Qual o valor da perda do emprego,
então, diante de tamanha alegria?

Nenhum.


Coisa boa é desejar pra nossa
vida - e pra todos - que as alegrias sempre se sobressaiam aos possíveis momentos de tristeza.

Abraços!!!

*Aguardo sua visita.

Anthony Dostoiévski disse...

Antes sermos nós e mostrar o que somos até o fim, do que fingir ser alguém e depois acabar por ser uma caixa de surpresas.

Ainda bem que ele escolheu um padre, uma criança e um violonista, vai que o clip quebra?

ahhahuh
bom texto

disse...

Ele é lindo.

Hosana Lemos disse...

que bom que tive a sorte de conhecer teu blog...
escrita simples e adorável!

muito lindo.
to seguindo!
;)
beijos

Gisa disse...

kkkkkkk juro que dessa eu não sabia, aposto que ele adorou voltar pra praia, era por isso que ele estava feliz não é ? (ok ok lá vou eu viajando)

Eu aaamooo passar por aqui...

bjss