quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Ignácio

E se de repente, pudéssemos programar a paixão? Eu me apaixonaria em um dia claro de outono. Com certeza no sol de abril. E tiraria férias. Só para poder sonhar até mais tarde. Mas, meu coração é um músculo involuntário. Bate, pulsa e canta até nos dias nublados. Não respeita hora e calendário. Deixa o amor entrar assim, sem bater na porta. Sem ser anunciado. Só para ser inesperado. Inusitado. Só para ser você, Ignácio.


(E nem é abril)

16 comentários:

Solange Maia disse...

Ignácio é um homem de sorte...

lindo Erica.

beijão

Renata de Aragão Lopes disse...

"Bate,
pulsa
e canta
até nos dias nublados."

Que felicidade! : )

Beijo,
doce de lira

disse...

NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSSA, coisa mais linda.

Eu nem sei se me apaixonaria se pudesse escolher..

Katrina disse...

Eu programaria meu coração para se apaixonar quando eu estivesse do lado da pessoa certa em algum dia de outubro. Não sei, gosto desse mês.

Natália Corrêa disse...

Eu desligaria o programador. Gosto mesmo é de ser surpreendida... =D

Luna Cortez disse...

que lindeza.

o meu coração não respeita as minhas vontades.

Anthony Dostoiévski disse...

Não há nada pior do que prever...
imagine programar...Melhor apenas viver e se deixar levar...Assim é a graça de se apaixonar...

Da-lhe Ignácio

Bjim

Fernanda disse...

que lindo,sabe que se eu pudesse escolher quando me apaixonar seria no inverno em um dia inesperado.

Erica Ferro disse...

Nooooooossa, cara!
Bonito isso, bem bonito.

Um beijo.

David Sento-Sé disse...

O viver eloqüente está na novidade, no diferente, no novo e no desconhecido. A prestidigitação dos dias é uma total perda de tempo. Não me encanta saber o futuro, que se afastem de mim todas as previsões, não quero saber se serei feliz ou não. Não me alimento na perfeição das minhas fantasia e não me admito chorar pelo leite ainda nem derramado. Que venha o futuro como vier e me tome como mágica. Que seja o bem ou o mal, mas que seja intenso e surpreendente novo.

Tatiane Trajano disse...

Em se tratando de paixões, gosto mesmo de uma surpresa.

Felicidade Clandestina. disse...

Oun quem me dera programar a paixão

*_______*

Heloísa Vilela disse...

Não acho que sejamos capazes de programar a paixão.
Na verdade, não somos capazes nem de saber o que faz com que a gente se apaixone...

Crispi. disse...

Muito bonito.
Se eu pudesse programar o amor, seria agora. Ando em tanto desamor.

Priscy Little disse...

Que lindo *.*

Sei nao, mas paixao nem existiria no meu vocabulário.

Clari disse...

Gostoso de ler e imaginar