quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Detalhes

( E outro cabeludo apareceu na minha rua)

Enfim chegou o nosso fim. Igual à de todo mundo. Um falando coisas demais. O outro apontando falhas a mais. E ambos sofrendo. Eu chorei com o Roberto. Com o Venturini. E com a Gal. Você foi para a rua, indiferente. Tudo bem! Cada um sofre a sua maneira. Mas, um dia, eu sai também. E me peguei feliz num Samba-Rock. E nem era Seu Jorge. Era Black Soul total. E alguém me olhou sorrindo.
Estava salva, pensei...


... ou correndo perigo!?!

9 comentários:

Erica Ferro disse...

De qualquer modo, livre do sofrimento anterior e disposta (ou sem saída) para sofrer outros sofrimentos.

Beijo, EricaXará.

Luna Cortez disse...

o melhor é a música que embala.

Black Soul, e alguém te olhar sorrindo? perfeito.

Fernanda disse...

que lindo,de qualquer maneira você estava no seu lugar.Em meio as melodias.

David Sento-Sé disse...

Só o esquecimento legitima a entrada do novo. Esquecer é o bem da alma doida.

Tata disse...

Incrível como a música rege nossa vida não é mesmo???
Mesmo que de fundo ela está em quase todos os momentos.....sejam bons, ruins, alegres, divertidos, melodramáticos...enfim....
O importante é q a música embale!

bjinhos

Gisa disse...

noooosssaaaaa grande Robertão ? agora fiquei preocupada hahahaa
(como dizem meus queridos portugueses, estou meio piadética ultimamente, não liga rsrs)

Sabe o que é melhor quando chegamos ao fim ? é saber que começou tudo de novo. Hummmm Black Soul... perfeito para um novo começo.

bjsssss

Tatiane Trajano disse...

E no final, o importante é ser feliz.

Natália Corrêa disse...

Salva ou em perigo... o importante é estar aberta para todas as possibilidades ;)

ah, obrigada por ler meu conto mesmo não gostando de ler coisas longas em blog *-* fiquei feliz que gostou! =D

você escreve muito bem :D

Pitty que Pariu disse...

Interessantes os ícones para choro e redenção.