segunda-feira, 14 de março de 2011

O Jardineiro fiel

Meu coração estava cheio de sementes de esperança e fé. Dariam frutos bons. Mas, para isto, era preciso de água, amor. E um pouquinho de sol. E você me deixou em um quarto escuro e no frio...


... e o meu coração morreu de sede.


(Não , eu não era cacto)

13 comentários:

Verborrágico e contido disse...

Esse jardineiro tá mais pra infiel! hehehe.

Em@ disse...

mas os cactos precisam muito do sol...
gosto de cactos.
e gostei do seu palavriar, como sempre.
beijo, Erica

Nara disse...

O amor a gente tem que cuidar feito flor, né?

Anthony Dostoiévski disse...

jardineiro ou praga fiel?
faltou cuidado do jardineiro e ficou muito bom o texto.

braço e bom texto

Mikaele Tavares disse...

Quando não há compreensão do outro, mesmo sabendo quem somos, tudo se torna mais difícil.

Bj

Natália Corrêa disse...

O jardineiro não era tão fiel, afinal.

Honny e Gio. disse...

\: esse jardineiro descuidado a beça


P.s : Teu modo de escrever me encanta cada vez que te leio . E quando a gente te lê nao dá vontade de parar nunquinha

:*

Fernand's disse...

mas não sobrou nada???



bjsmeus

Ágatha Alves disse...

Jardineiro desatento...

Luna Sanchez disse...

Precisava de tão pouco, que pecado!

Nem sempre enviamos os sinais certos...

Beijos, querida!

Franck disse...

Sucinto e intenso, como um jardim que não cuidaram...
Bj*

David Sento-Sé disse...

Realmente, tem horas que falta terra pra gente também.

A.S. disse...

Basta um beijo e o coração renasce para o amor... para a vida!...


Beijos meus,
AL