sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A Guerra dos Roses

Quando o amor é mais forte que a razão, tudo é terremoto
Furacão
Tudo é tempestade em copo d'água
Perdão e despedida
Lágrima e suor
Noite em claro
Mas, quando a razão vence o amor, tudo é monotonia
Feijão com arroz
E terapia...

... que indico.

(Ainda é melhor que nada)

13 comentários:

Mah disse...

Antes amar monotonamente do que nunca amar, antes amar intensamente do que nunca tentar,,,
Beijaum

Daíse disse...

Perfeito, menina!!!!
Disse tudo!!!
Bjo!

Ana Andreolli disse...

hahahaha adorei o bom humor!

Fred Caju disse...

Porque quando a razão é maior, não há competição, pois não é amor.

Gisa disse...

hehehe tens toda razão, e quem não gosta de um bom terremoto hein !?! :p

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Puuura verdade! E você não fez apenas "falar a verdade", mas fez isso muito poeticamente. Gostei pacas da sonoridade do teu poema.

Enfim, muito bom!

Henrique Miné disse...

é, melhor que naada...

Ela disse...

Ah, concordo! Meu amor é como eu, um mar tempestuoso, uma tempestade sã, depende de como você sente.
Sinto da falta da razão em alguns momentos, mas são parcos esses momentos de lucidez.

Gostei daqui!

Gabriela Petrucci disse...

Com certeza, melhor que nada! :D

Em@ disse...

gosto sempre dos seus finais...

beijo

Priscila Rôde disse...

Você é muito criativa rs
Adoro!

Ágatha Alves disse...

pois é que algumas vezes a razão tem toda a razão... e fica por mais tempo, o amor parece uqe o momento depois de um tempo passa e fica o vazio.

Beijão flor

Má Midlej disse...

Muuuuuito melhor que nada.

Adorei