quinta-feira, 24 de junho de 2010

Brincando de amar

Talvez o amor seja apenas um menino que gosta de fazer travessuras. Brincou com você. Brincou comigo. Mas eu não o deixei em um canto qualquer de castigo. Não me vinguei. Você sim, deixou-o de lado. Virou as costas. Foi embora de mal humor. E colocou toda culpa em mim...


Como se eu soubesse as regras do jogo.



(Não sei)

13 comentários:

Ká ou Kaká. disse...

Eu tbm não sei, Erica. Mas tenho certeza que, ao final da brincadeira, eu e vc ganhamos o jogo.

Bjos.

Cris de Souza disse...

Esse enigma é digno de figa...

Elis disse...

já faz algum tempo ... eu sempre saia "atacada" da "brincadeira" ... hoje, peço desculpas e brinco outra vez!
E é ótimo!
adorei passar por aqui.
Abraço
Elis

Mariana Amorim disse...

Ownnnn !!!

Luna Sanchez disse...

E nem adianta colocar de castigo, que o danado apronta e apronta de novo, sem cansar! Oba!

Rs

Beijo, beijo.

ℓυηα

Priscila Rôde disse...

Nem eu sei.
Não sei mesmo!

marinaCavalcante disse...

E quem as conhece?
=]
Eu também desconheço.


Saudades de seus comentários, querida.

Nara disse...

A gente só aprende as regras jogando, não é?

Beijo,
Nara

Ágatha Alves disse...

aconteceu comigo, até hj n entendo direito, e ousa em dizer que a culpa foi minha, fala de maneira como se fosse eu quem tivesse deixo-o de castigo, mas foi a escolha, ele fez a escolha errada, e hj tenta achar uma justificativa.
Tbm n sei as regras, mas ninguém pode nos culpar em nada.

beijos chuchu

Anthony Dostoiévski disse...

O amor, assim como as crianças, é imprevisível.
Nele não há castigo, regras e culpa, mas sim ensinamentos e esperança..

bjim e lindo texto

Allyne Araújo disse...

quanto mais catigo mais birrento ele fica... srsrs beijaooooo

Me disse...

menino travesso esse...
bjokas érica!!!

Mikaele Tavares disse...

E há regras?
Apenas,brinque.

Lindo o texto,como sempre.

Beijos