quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Existirá mesmo a terceira margem? Porque eu não quero atravessar a rua.

Você vai me convidar para entrar? Quero saber de quais cores são pintadas as suas paredes. E qual é o novo som que toca em seu vinil. Tomaremos café? Eu não, obrigada. Aceito água e conversaremos. Chega de Rembrandt ou Pondé. Quero falar de coisas simples. De sua cicatriz, por exemplo. Ou de como você quebrou o seu dedo. Tire os seus óculos escuros. Deixa eu ver a verdadeira cor dos seus olhos. Eles são míopes? Senta no chão. Fica descalço e me conta sobre o que você tem sonhado acordado. Qual é o nome da sua rua? Me passe o seu endereço. Cansei de imaginar a sua morada. A metrópole não para de crescer. E eu sei que vou me perder de você. Deixe eu entrar. Estou à sua porta. Antes que escureça. Antes que o tempo mude. Antes que...

Ah! Meu táxi chegou!

15 comentários:

Hosana Lemos disse...

das histórias que terminam sem nem ao menos começarem...
^^

lindo.

. disse...

Seriam pensamentos de um coração sonhador?! Deixa ele voar né?!

Lindo Erica!

Tatiane Trajano disse...

E lá se vai, sem nem saber...

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Seria uma alusão ou ilusão do coração? Não importa, agora só importa viver, viver com você.

Cristiano Contreiras disse...

Muito inteligente, criativo este blog. Tem um tom literário, pessoal e também concebe cronicas da propria atualidade.

te sigo!

Renata de Aragão Lopes disse...

O melhor,
de fato,
é falarmos
de coisas simples...

Dos nossos pequenos
grandes detalhes... : )

Beijo,
doce de lira

Anthony Dostoiévski disse...

É sempre assim...
ou é um táxi ou alguém que bate a porta...

bom texto moça...
bjim e abraço

Ferdi disse...

QUE COISA MAIS QUERIDA, é o que eu gostaria de dizer pra tantos, tanta gente, tão atual e belo, que.. ah, inspirador!

Fernanda disse...

terminei de ler e fiquei com os olhos brilhando...pelo menos uma vez na vida a gente já sentiu vontade de falar isso pra alguem...

Sophia Schneider disse...

Perdeu a chance de beijar e descobrir a cor da parede da casa.
Ah... você poderia ter ido a pé.
P.S: O meu sobrenome é de família alemã da parte da minha mãe. Sigo seu conselho repito mas vezes.
bjs

jefhcardoso disse...

Vim ler a linda declaração que a Tatiane Trajano fez para sua mãe! Amor incondicional é mais forte que forte.
Ali vi o seu rosto no belo quadro de seguidores; e foi assim que decidi lhe convidar para conhecer o meu blog http://jefhcardoso.blogspot.com .

Abraço: Jefhcardoso.

Layra disse...

droga de taxi! HAHAHA (:
ás vezes as coisas simples que fizeram parte da vida das pessoas que amamos são tão importantes para nós.. eu sou assim.. me contento com uma simples conversa na porta de casa com um sorvete de chocolate na mão.. contando histórias, sem grandes declarações ou emoções.. e tem que ser assim mesmo.. dar valor as coisas simples.
um beijo.

Erica Ferro disse...

das histórias que terminam sem nem ao menos começarem... [2]

Você encanta com suas palavras, Erica.

:*

Vanessa Mello disse...

É encantador a forma singela que escreve seus textos .


Abraço

Idiota disse...

Seus textos são maravilhosos.
Poesias quase visuais. A imagem mental prende e emociona.
Parabéns.