quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Felizes eram os poetas

E amanhã vai nascer o sol, apesar de tudo, eu sei. Dia quente. E seria tão melhor nublado, coberta. Talvez resfriado. Qualquer desculpa para não sair da cama. Algum drama na TV para poder chorar. Mas, amanhã terá sol. Trinta graus apesar do inverno. E sorvete me faz lembrar você. Transfiro, portanto, meu luto para outro dia e a minha dor para embaixo do travesseiro porque a vida segue, meu bem. Ela nos atropela sem pensar...


... e não há tempo para sofrer de amor.

8 comentários:

Ana Andreolli disse...

hum, é rara as vezes q eu entro aqui e sinto um aperto tao grande assim, espero q tudo fique bem, apesar de fazer palavras tao lindas.

Luna Sanchez disse...

Deixa a dor pra amanhã, sim, flor. Deixa sempre pra amanhã, todos os dias, até que ela se canse. ;)

Um beijo.

Maíra Cintra disse...

Olá Érica!
Me encantei com sua palavras!
Você escreve maravilhosamente bem!
Convido-te a visitar meu blog
http://mairacintra.blogspot.com/
Beijos

Camila Karina disse...

O amor não espera de nós o sofrimento, espera sempre a esperança e o preparo para que ele possa chegar e sorrir

Solange Maia disse...

suas palavras vão virar meu mantra....

Erica, adoro te ler... acho que já devo ter falado isso, mas é que adoro mesmo... suas palavras me enriquecem...

beijo carinhoso

Tatiane Trajano disse...

Sem dores por hoje e que seja assim todos os dias...

As Flores e Eu disse...

Não a tempo a perder, a felicidade está por aí.

Thaily disse...

Lindo, lindo, lindo!
Postei no meu blog... hehe

bjinhos querida! ;)