quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Caos

E de repente eu não sei o que escrever. Ou talvez, não queira. Ou não posso, sei lá. Há uma negação dentro de mim. Um vazio. Será que é isto que fica quando o amor se vai?

... Um mundo sem significação?

16 comentários:

Gabriela Petrucci disse...

Tristemente real! :T

Bruno Fernando disse...

Érica, quando o amor não está por perto, de fato, tudo o mais não faz sentido algum =/

Beijos

Paulinha disse...

"quando o amor se vai" é uma frase cortante... acho que o que fica é o vazio mesmo...
bj

Mensagem Efêmera disse...

Quando o amor se vai, resta só o caos mesmo... :/
Me amarrei no teu blog e vou seguir, tu escreves coisas lindas, sério! :D

AC disse...

Erica,
Esse vazio não é um vazio, é apenas a nossa capacidade de encantamento em fase de regeneração...

Beijo :)

Henrique Miné disse...

"só me sobrou do amor, a falta que ficou"

Acho que é meio por aí, saca?

beeeijos.

marinaCavalcante disse...

...
Sobre o amor
eu já nem sei mais o que falar
...

Só esperançar, querida!

Beijos, Erica!
Obg pela visita.

Suzi C. Lima disse...

Se for coisas do coração...Um dia esse tipo de sensação se esvai, pode ter certeza

;)

Me disse...

quem saberá com certeza?!
mas o sol sempre reaparece...
bjokas érica!!!

cecilia disse...

Realmente triste,mas pode ser verdade sim.Talvez é o vazio que fica quando o amor se vai :/

Ah não acredito que o Rubem Alves nunca responde cartas,se qualquer jeito irei escrever eu necessito rs'
Beijo Erica

so sad disse...

de certo modo sim, mas isso não quer dizer que será sempre.

beijo!

Elih disse...

É exatamente isso, essa vazio massacrante que nem as lágrimas são capazes de preencher!

um abraço

Luna Sanchez disse...

Na verdade considero essas fases verdadeiras explosões criativas, Erica. Inspiram, sim. Deixa o tempo agir.

;)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Rafael Castellar das Neves disse...

Pronto...escreveu...rsrs...mas acho que sei do que está falando...


Bjos Eri...

Em@ disse...

Erica,
esse vazio pode voltar a encher-se outra vez. é só querer, regenerando-se.
beijo no coração

Renato Hemesath disse...

Oi Érica!

aaaaaaaaaadoro as tuas indagações, sempre objetivas, sempre claras.
É de se perguntar mesmo se pode tratar-se de um amor que se vai. A certeza é que não se sabe, que há algo que escapa de significação. Também me pergunto, muitas vezes, sobre tais momentos em que somos capazes de prouzir e em outros que não queremos, ou se ao tentar, não atingimos resultados que a priori, imaginávamos. :/

Pois é, o desconhecido que ai se mostra!

Beijão,

Ótimo final de semana!