quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Lois Lane

Eu decoro alguma coisa para lhe falar. Receio que se falar de improviso, a minha voz falhe. Então decoro mesmo. Quero que você me salve. Do quê, ainda não sei bem. Sinto que corro perigo longe dos seus braços e olhos. Vai ouvir os meus gritos mesmo com o ruídos dos carros?
Mas, claro que não digo isto. Não digo nada, aliás. Ensaiei por horas o texto que ele ficou assim, meio sem vida; meio robótico. O 'eu te amo' do final da frase nem tem expressão. Você acreditaria se eu dissesse? É, ninguém acreditaria...
Também me acovardei sob uma máscara. E ela caiu tão bem para mim, ao ponto de me olhar no espelho e não me reconhecer mais.
Como vê, você não é o único a carregar segredos.

3 comentários:

Solange Maia disse...

Erica,

Sempre que possível dispa-se...
e fale "eu te amo" até que saia lindamente... vai ver como vale a pena !!! ...risos...

Beijo carinhoso

Tatiane Trajano disse...

E de tanto ensaiar fico simplesmente muda ao te encontrar...

Beijoooosss

Claudinha ღ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.