segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Até que a morte nos separe

Quero falar sobre a morte. A sua. E eu nem velei o seu corpo. Onde estará a sua alma? Você morreu amor. E em seu lugar ficou alguém frio e sarcástico. Um estranho. Quero de volta aqueles olhos doces. Aquelas palavras que eram quase poemas. Você se foi, amor. Você se foi... ... e eu não acredito em ressurreição. (até que a morte simbólica nos separou)

5 comentários:

Henrique Miné disse...

imagino perfeitamente alguém falando isso assim pra mim, e com razão.
e eu, morto, não poderei fazer nada além de ouvir.

beeeijo!

Mai disse...

Não há pior morte do que aquela que só ocorre dentro de nós mesmos, ainda que carnalmente a pessoa ainda exista. Quando deixam de existir para nós e continuam vivos, é triste e machuca.

Mai disse...

Não há morte mais lastimável do que aquela que só acontece dentro de nós mesmos, ainda que a pessoa exista carnalmente. Quando alguém morre dentro de nós, é triste e machuca!

As Flores e Eu disse...

Sepultar alguém que ainda vive é dor também.

Ana Andreolli disse...

menina, que coisa linda.